terça-feira, 16 de outubro de 2012

Ansiedade de Separação: um sofrimento comum que pode ser evitado

11:01

Muitas das vezes, a problema pode estar no dono também

A ansiedade da separação é um transtorno que acomete cães de todas as espécies e idades. E é um processo muito doloroso, principalmente para o cão que, de tão dependente, sofre com o medo constante de ser abandonado, mesmo quando o dono vai apenas até a padaria.

Outro problema, e não menos comum, é quando o dependente é o próprio dono.


A especialista em comportamento animal Daniela Sanzi, em entrevista ao R7, fez alguns esclarecimentos sobre o assunto:

— Quando a pessoa pega um cachorro, ela muitas vezes, inconscientemente, deposita todo tipo de carência naquele bicho, muita expectativa, muita coisa ali naquela relação cachorro- pessoa, o que numa relação pessoa-pessoa, já seria bem complicado. Então você pega um bichinho q não entende nada ainda e tenta cobrar dele uma relação complexa: “ontem eu queria agarrar e pegar no colo, hoje ele qualquer subir no meu colo e eu não quero...”, então, quanto mais regrado for o dono, mais obediente e tranquilo será o cachorro.

Um engano muito comum: se a pessoa tira férias e quer aproveitar para passear mais com o bichinho, na verdade não está fazendo bem, porque quando voltar a trabalhar ele vai sofrer.
Daniela fala:

—Ele não entende né? Não adianta explicar “olha, daqui a 30 dias eu vou voltar a trabalhar”.
E as consequências podem ser bem ruins, como o bichinho desenvolver um comportamento indesejado. Ele vai começar a estragar coisas, comer jornal, vai começar a fazer coco e xixi fora do lugar... Tudo para chamar atenção.

Já temos aí demonstrações da ansiedade de separação. Ela continua:

— Se a pessoa trabalha 8 horas por dia, e ela separa duas horas antes do trabalho e uma hora depois para passear com o cão, isso é pouco? Depende. Se o cão está acostumado a ficar numa creche brincando o dia inteiro é pouco. Se ele nunca sai, é bastante!

É muito relativo. O segredo é fazer de tudo um hábito. Do jeito que a pessoa já vive, tem que inserir o cachorro naquele contexto. Quanto mais coisas iguais no dia a dia dele, mais rápido o cachorro entra no eixo. Daniela finaliza:

— Os sinais corporais e comportamentais deles dizem muitas coisas pra nós, é só saber ler.

Dicas para diminuir a ansiedade de seu cão:
  • Quebre rotinas: tente mudar a ordem de seu ritual de saída de casa ( banho, perfume, roupa “diferente”, pegar chave, colocar água e comida para o cão... Eles entendem perfeitamente que você já está de saída.
  • Saia e chegue sem alarde: Nada de “Já volto”, ou “ Mamãe chegou”. Sair e chegar são coisas comuns do seu dia a dia e chamar atenção para isso pode causar angústia ao cão. Associe sempre uma coisa positiva à sua saída, como um petisco.
  • Acostume-o a comer no horário da sua saída. Assim ele estará distraído com uma coisa boa quando você sair.


Fonte: R7
Texto: Ana Paula Xavier

Written by

We are Creative Blogger Theme Wavers which provides user friendly, effective and easy to use themes. Each support has free and providing HD support screen casting.

0 comentários:

 

© 2013 Espaço VetZoo. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top